Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Descobrir Leiria

"Quando não se tem aquilo que se gosta, é necessário gostar-se daquilo que se tem" Eça de Queiroz

"Quando não se tem aquilo que se gosta, é necessário gostar-se daquilo que se tem" Eça de Queiroz

Batalha conquista Prémio Município do Ano – Região Centro

O Município da Batalha conquistou ontem, em Vila do Bispo, no Algarve, o prémio “Município do Ano” – Região Centro, com menos de 20000 habitantes, com o projecto de requalificação da Aldeia da Pia do Urso, cuja concretização foi considerada exemplar pelos elementos do júri do concurso.


Os prémios Município do Ano são uma organização da Universidade do Minho, através da Plataforma UMCIDADES, que na presente edição recebeu um total de 93 candidaturas, sendo que da região centro foram submetidos 31 projectos.


Já na terceira edição da iniciativa, os prémios Município do Ano visam reconhecer e premiar as boas práticas em projetos implementados pelos municípios portugueses com impactos assinaláveis no território, na economia e na sociedade capazes de promover o crescimento, a inclusão e a sustentabilidade.


A distinção atribuída ao Município da Batalha é, para Paulo Baptista Santos, Presidente da Câmara Municipal “um motivo de enorme orgulho e que sustenta o excelente trabalho realizado na recuperação da antiga aldeia da Pia do Urso, localizada na Freguesia de São Mamede”.


O Autarca agradece a todos aqueles que colaboraram na concretização deste importante protejo turístico e patrimonial do concelho e da região, adiantando que “em breve, a aldeia contará com um Hostel de excelência, com o intuito de potenciar o desenvolvimento do Turismo de Natureza e de Aventura no Concelho”.

Batalha conquista Prémio Município do Ano – Região Centro

 

Fonte: Município da Batalha

Museu de Leiria venceu "Prémio de Melhor Trabalho sobre Museografia"

A Câmara de Leiria anunciou em comunicado que o Museu de Leiria recebeu esta sexta-feira o prémio de Melhor Trabalho sobre Museografia.

A cerimónia de atribuição dos Prémios Nacionais de Museologia 2016, organizados pela  Associação Portuguesa de Museologia (APOM), aconteceu no Museu do Dinheiro, em Lisboa. 

Além desta distinção, o espaço obteve ainda uma menção honrosa no prémio de  Melhor Museu, tendo recebido grandes elogios na cerimónia. 

Segundo o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, este prémio  constitui “um orgulho enorme e grande estímulo para Leiria”. 

Refira-se que os galardões são atribuídos pela APOM, fundada em 1965, para incentivar o  espírito de preservação e divulgação do património dos museus.  I

Inaugurado a 15 de Novembro de 2015, o Museu de Leiria, que já recebeu mais de 10 mil  visitantes, propõe uma viagem à memória de um território e seus habitantes, através da  exposição de uma vasta e diversificada colecção que tem vindo a ser recolhida desde há uma  mais de uma centena de anos e onde se pode encontrar o acervo do antigo Museu Regional  de Obras de Arte, Arqueologia e Numismática de Leiria, criado a 17 de Novembro de 1917,  mas também as coleções artísticas municipais e a reserva arqueológica.

O Museu de Leiria  oferece ainda várias exposições temporárias, que ocupam diversas áreas do edifício histórico  que faz também ele parte da história de Leiria. 

Exposições patentes  Exposição de longa duração: Identidade e Território (permite ao visitante uma leitura geral  da história do território e da evolução da ocupação humana, através da exposição de objectos  paleontológicos e arqueológicos de vários sítios, esculturas de épocas distintas, pintura e  arte sacra de época moderna, artes decorativas, pintura de época contemporânea e  elementos gráficos que evocam alguns artistas contemporâneos, tais como Alex Gaspar e Sérgio  Luís e seu irmão Guy Fernandes.

Culmina com um filme em que se pensa o museu e se tece  uma teia com o território de Leiria. 

- Exposição temporária: Castelo de Leiria: construções de um lugar (patente até 31 de  Dezembro de 2016, é constituída por achados arqueológicos resultantes dos trabalhos de  arqueologia realizados no morro do Castelo de Leiria, e que permitem estudar e explicar a  evolução daquele espaço e a ocupação humana ali existente ao longo dos tempos). 

- Exposição temporária: 4 Estações em Santo Agostinho - Estação 1 - Pedro Brito (até 15 de  Julho de 2016, esta exposição é composta por um conjunto de desenhos resultantes da  residência artística do aluno da ESAD.CR - Pedro Brito) 

- Exposição temporária: Animais Nossos Amigos - Dos versos de Afonso Lopes Vieira aos  animais de Pedro Anjos Teixeira (até 2 de Outubro de 2016, esta exposição permite ao  visitante fazer uma leitura cruzada entre a obra literária de Afonso Lopes Vieira;

- Animais  Nossos Amigos; e as esculturas de animais, da autoria de Pedro Anjos Teixeira, que  constituíram a colecção desenhada para o Jardim Afonso Lopes Vieira.

Fonte: Jornal de Leiria

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D