Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Descobrir Leiria

"Quando não se tem aquilo que se gosta, é necessário gostar-se daquilo que se tem" Eça de Queiroz

"Quando não se tem aquilo que se gosta, é necessário gostar-se daquilo que se tem" Eça de Queiroz

Mário Soares: um político com ligações a Leiria

O ex-Presidente da República, Mário Soares, que hoje faleceu, era filho de João Soares, que foi político, professor e pedagogo. Natural do concelho de Leiria, a memória de João Soares foi perpetuada com a abertura da Casa Museu João Soares, em Cortes, Leiria, em Dezembro de 1996.

mario-soares-17-11-98

Foto: Inauguração da biblioteca da Casa Museu João Soares, em Novembro de 1998, nas Cortes, Leiria

 

Por essa razão, Mário Soares mantinha uma ligação a Leiria, cidade onde aliás estudou. Em entrevista concedida ao REGIÃO DE LEIRIA, em 2001, Mário Soares referiu-se à mais antiga memória que preservava do seu pai: “As recordações que conservo do meu Pai reportam-se à mais tenra infância. São pequenas coisas,gestos de ternura e de amor. Nesse tempo remoto, nos anos iniciais da ditadura, o meu Pai tinha uma vida muito ocupada de conspirador republicano em luta pelo restabelecimento das liberdades".

O antigo Presidente da República lembrou ainda que "as Cortes,nesse tempo,ainda não existiam ainda no meu horizonte. Fiz em Leiria,no Liceu Rodrigues Lobo,o meu primeiro exame de admissão ao liceu. O meu Pai estava então preso e deportado nos Açores,na Fortaleza de São João Baptista, em Angra do Heroísmo. Eu tinha feito a quarta classe na escola pública das Caldas da Rainha, albergado então em casa do velho farmacêutico e revolucionário Maldonado Freitas, amigo de meu Pai. Fiquei, depois, em Leiria, em casa do meu primo João Santos,a quem o meu Pai chamava o João preto (por ser muito moreno),duas ou três semanas,a preparar o exame de admissão ao liceu. A casa era no começo da encosta de Nossa Senhora da Encarnação.”

Nessa entrevista, Mário Soares revelou que as mais antigas recordações da cidade do Lis lhe estavam inscritas na memória como ilustrações do burgo descrito por Eça de Queirós,no “Crime do Padre Amaro”. Entre as imagens do passado constam a praça onde ficava a farmácia do Coelho de Freitas, a Sé, e a garagem do seu primo (e do sócio, Senhor Marques) na antiga estrada para a Figueira.

Na altura em que concedeu a entrevista, Mário Soares era deputado europeu. Ao REGIÃO DE LEIRIA abordou ainda  o que entendia dever ser a perspetiva de futuro desta região e da sua ligação à Europa. Uma matéria em que se colocou à disposição de Leiria: “Leiria deve procurar ter um maior relacionamento com a União Europeia, procurando colher o maior número de apoios financeiros no Quadro Comunitário de Apoio. Com conhecimento de causa e imaginação. Nesse particular, como  deputado europeu, modestamente, estou à disposição de Leiria".

Num registo mais descontraído, Mário Soares invocou ainda a gastronomia regional, declarando-se fã: “os grelos de Leiria são incomparáveis, sobretudo quando acompanham a característica morcela de arroz…”, referiu então.

Fonte: Região de Leiria

 

Boas Descobertas!!!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D